Cozinhar é bom para as mãos? Sinceramente, não sabemos.

Leia em 2 minutos

As mãos são um dos ingredientes principais na cozinha. Mas o que é que a cozinha faz às nossas mãos?

É verdade que para muita gente a hora de cozinhar é vista como um aborrecimento. Mas sempre que alguém se dispõe a cozinhar há algo de entusiasmante no desenrolar do processo. Escolher e tocar nos ingredientes, misturá-los, provar e ajustar para alcançar o resultado imaginado. Cozinhar permite-nos exercitar a criatividade e disciplina e no final de tudo acabar com batatas fritas. Quer melhor?

As nossas mãos são bem tratadas na cozinha?

Encaramos esta pergunta tentando esquecer todas as vezes em que quase ficamos sem a ponta de um dedo enquanto manuseamos uma faca espalhafatosamente. Mas lembremo-nos que são as mãos que entram em contacto directo com todos os nutrientes provenientes dos ingredientes que utilizamos. Algo que poderá ser de maior relevância quando se manuseiam vegetais, frutas, óleos e especiarias.

O lado bom

São nutrientes como os carotenóides, flavonóides, as várias vitaminas e lípidos presentes em todos os vegetais e especiarias comummente utilizados na sua cozinha que exercem os conhecidos efeitos benéficos para a saúde. Que em muito se devem às suas propriedades antioxidantes, hidratantes e anti-inflamatórias. Enquanto se cortavam rodelas de pepinos para colocar nos olhos já havia algum reconhecimento (ou esperança) empírico das propriedades benéficas do contacto do pepino com a pele. Senhoras, sinceramente, notavam algum efeito?

Plantas como o rosmaninho, o inhame, o alcaçuz e a uva são das mais utilizadas pela indústria cosmética devido a propriedades de anti-envelhecimento para a pele [1].

É por isso que a empresas cosméticas como a Claus Porto,  – portuguesa e portuense – a par da tradição, salientam o uso de ingredientes considerados comestíveis nos seus produtos, tais como a amêndoa, o jasmim, a rosa, os citrinos, a alfazema e diversos óleos. O leitor, ao consultar qualquer um dos produtos cosméticos que usa habitualmente, verá que todos eles, com mais ou menos abundância, contêm ingredientes que se podem encontrar na maioria das cozinhas.

O lado mau

Por outro lado, existem uma série de hábitos que praticamos na cozinha que anulam os potênciais efeitos benéficos que expusemos. Como enquanto cozinha estar constantemente com as mãos molhadas resultando numa pele permanentemente húmida, algo que enfraquece a pele como barreira e favorece certas infecções. Também o repetido uso de  sabonetes/ detergentes agressivos que afectam severamente o pH, a camada lipídica e a microflora da sua pele. Manusear alimentos aos quais tenha uma ligeira alergia pode provocar uma resposta inflamatória e gerar algum desconforto cutâneo, e convém não esquecer as frequentes queimaduras e cortes acidentais. Afinal a cozinha pode ser uma selvajaria para as suas mãos.

Não podemos afirmar categoricamente que cozinhar faça bem ou mal à pele das suas mãos, algo que poderá ser uma desilusão para quem procura respostas concretas. Realçamos apenas quais os hábitos que durante o seu tempo na cozinha estão associados a efeitos benéficos e maléficos para a pele das suas mãos. O resto, fica nas suas mãos.

Deixar uma resposta